24 de julho de 2018

#Novidades

Maior eclipse lunar do século XXI

Marque na agenda: na próxima sexta-feira, 27 de julho, vai acontecer o maior eclipse lunar do século XXI! E sim, vamos conseguir apreciar esse fenômeno do Brasil. Se programe para não perder, pois o próximo vai ser só em janeiro de 2019.

Os eclipses lunares ocorrem de duas a três vezes ao ano, com o desaparecimento momentâneo da Lua, por conta do posicionamento da Terra entre ela e o Sol. Esse vai ser o eclipse lunar mais longo do século, com duração prevista de 3 horas e 55 minutos (sendo 1 hora e 43 minutos de cobertura total).

Quanto mais ao leste, melhor será melhor para assistir. A melhor capital para ver será Recife, já que a Lua nasce às 17h15 para a cidade pernambucana e a fase total do eclipse termina às 18h13 minutos (quando a lua está inteira dentro da sombra). A parcial termina às 19h19. O eclipse já vai estar rolando antes, mas a Lua não vai ter nascido na maior parte do Brasil. A África e a Europa poderão admirar o eclipse lunar total em sua plenitude, de acordo com o mapa que a agência espacial americana (Nasa) fez com os melhores lugares para assistir.

A dica é procurar um lugar aberto e o mais perto da costa do Brasil possível. É importante checar o horário que nasce a Lua em cada região e ver qual será sua a janela de tempo para apreciar. Talvez não seja possível assistir em lugares como a avenida Paulista, porque o horizonte é tomado por prédios e muitas luzes. O ideal é ir para um campo aberto, onde geralmente é bom para observar as estrelas.

A Lua em diferentes fases durante um eclipse lunar total (Foto: P. Horálek/ESO)

Um ponto positivo do eclipse da Lua é que, ao contrário da eclipse solar, não precisamos de nenhum óculos especial para conseguir admirar o fenômeno no céu. Dá pra ver a olho nú, mas com um binóculo ou uma luneta a experiência fica mais interessante. Outro detalhe é que a Lua vai ficar num tom avermelhado, chamada “Lua de Sangue”. Isso por que, quando acontece um eclipse total, nós vemos o satélite mesmo que ele não esteja recebendo luz direta do Sol. A luz solar atinge a Lua por meio da atmosfera da Terra, fazendo com que algumas faixas de frequência da luz solar sejam “filtradas”, criando esse efeito alaranjado. É incrível!

É o segundo eclipse que acontece esse mês. O primeiro, no dia 12 de julho, foi um eclipse solar parcial. Não conseguimos ver por aqui, mas os astrólogos e astrônomos estão sem dúvida tendo um mês muito agitado com essa movimentação toda no céu. Esses momentos são ótimos para nos reconectarmos com a natureza e com toda a sua grandiosidade! Quando conseguimos entendê-la e senti-la, estamos mais aptos à protegê-la. Então chama todo mundo, combina um piquenique ao ar livre e olha pro céu 🙂

 

Curta o projeto no Facebook